sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Cheiro intenso


Era manhã. O sol recém-nascido, levantava-se lentamente, espreguiçando-se.

A brisa acompanhada do cheiro intenso a café, envolvia-nos maternalmente nos seus braços e transportava-nos para tempos remotos, em que tudo era perfeito e se podia apreciar os momentos de tranquilidade.
Nós saímos de casa. Passámos pelo jardim até chegar à saída e sentimos o aroma das rosas. O perfume era suave, fresco e tranquilizante. Aquele era o jardim que eu sempre me refugiava quando precisava de me sentir protegida. Era o ar puro que me embalava na sua brisa aromática, eram as folhas das árvores que me proporcionavam a sombra inquietante.
Os cheiros eram a alma daquela casa. A casa onde sempre vivi. Sempre me lembro de ter vários cheiros, mas havia apenas um que se distinguia, um cheiro já adotado, característico daquele lugar.
Ao longo do tempo o sol deixou de nascer e a sombra tornou-se maior. Os cheiros extinguiram-se. As rosas murcharam.
A alma da casa secou.

30 comentários:

Turista disse...

Querida Cláudia e dizes tu no post anterior que não tens inspiração! Tens aqui um texto fantástico! :)

Mark disse...

Concordo com a Turista (: Um texto lindo como este mostra que a inspiração voltou e em força ^^
Às vezes precisamos de um tempo de repouso para que as palavras voltem cheias de força :3

Mark disse...

Vais sentir a inspiração em outros dias, também (:

Mark disse...

De nada (: Oh, claro que vais ^^

Turista disse...

Querida Cláudia, está mesmo fantástico e não te estou a fazer favor nenhum! Tens de confiar mais em ti e escrever muitos textos, como esta preciosidade! :))

Bárbara Silva disse...

- já, ja o tive muitas vezes assim :)

Jaqueline disse...

Olá Claudia,
será que vc é minha parente rs?
seu N.é de que?
vai lá:
www.floraisonline.net

Sara disse...

Oh gosto muito claudia*-*

AquilesMarchel disse...

inspiração ae
^^

liundo textooooo

viu

PauloSilva disse...

Obrigado pela força minha linda :)

Alma de adolescente disse...

Parece que sinto o mesmo que tu... eu desejo-te muita força, e por favor não apagues este lindo blog.

Cláudia N. Matos disse...

E eu desejava conseguir ver o teu blog, mas não é permitido! :b

raquel disse...

É exactamente por isso que não queria privar, mas não sei... Recentemente pessoas (que eu preferia que não o vissem) descobriram o meu blog, e agora não sei o que vou fazer. Não queria nada privar :/

raquel disse...

Claro, prometo. É bom saber que gostas de lá ir :)

Bárbara Silva disse...

- muito mesmo :)

Soraia disse...

Obrigada querida!

Pelos vistos a inspiração voltou :D
Gostei muito do texto!

Dommin disse...

Sim sem duvida ;)

PauloSilva disse...

Obrigado querida :)

Palco do tempo disse...

belo texto :)

Diogo F. disse...

é mesmo :)

Bárbara Silva disse...

- ai também eu :b

Soraia disse...

Obrigada querida!

Maggie May disse...

os cheiros, os sons, todos enchem nossas casas e nossos coraçoes!

Bárbara Silva disse...

- só um bocadinho $:

Bianka disse...

Que bonito flor.. De verdade, forte e intensamente verdadeeiro

Roberta Galdino disse...

gostei muito... beijos

filipa barbosa disse...

ainda bem :) 9º, e tu? *

filipa barbosa disse...

ah :)
adorei o texto*

Dommin disse...

Nem mais.. Olá :D

Tânia Mateus disse...

Que texto profundo :)