domingo, 26 de maio de 2013

Tenho cá para mim que este verão... 
não temos verão!

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Momentos



São os bons momentos que pintam de cores vivas a nossa vida. Esses bons momentos tornam-se recordações para sempre vivas na nossa memória, preenchem-nos, rebolam-nos na erva verde e fresca da esperança, aconchegam-nos e aquecem-nos como um cobertor de inverno, adoçam-nos como mel no leite, com muito açucar. E são nas horas em que as pétalas do malmequer começam a cair, uma por uma ao longo do tempo, ao longo das amarguras, dos desgostos e infortúnios, que esse cobertor e o mel no leite, nos fazem sorrir e continuar. Continuar a colecionar as medalhas das vitórias e conquistas, os sapatos de todas as caminhadas e o calor de todo o amor, da vida...
 

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Verão!

A areia, o sol, o mar, as festas, o clima, a diversão...

Nada me sabe tão bem, nada!

terça-feira, 17 de julho de 2012

Nada vai parar, apenas nós

No dia em que morrermos o mundo não vai parar só porque o nosso coração também parou. Que ideia é que certas pessoas têm que no dia em que morrerem a maioria dos outros humanos vai deixar de fazer o habitual? É um absurdo. As crianças vão continuar a crescer, a ir à escola, a brincar. Continuarão a ir ao cinema, a concertos, à praia, a cair e a magoar-se... As pessoas continuarão a chorar e a rir, a ir trabalhar, a procriar e a envelhecer! Os dias de sol virão e os de chuva também aparecerão. O mundo continuará a evoluir e as mentalidades a mudar. Continuará a existir sem-abrigos, pobreza, corrupção, inveja, felicidade, amor e bondade.

Nada vai parar, apenas nós.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Infância

Quando somos pequenos não nos importa se calçamos os sapatos ao contrário, se andamos com os atacadores desatados ou se vestimos a camisola do avesso. Não nos preocupa a hora de chegar a casa, de virmos sujos e com as calças rasgadas. Levantamo-nos a qualquer hora da manhã para irmos comer estrelitas e ver desenhos animados enquanto toda a gente em casa ainda está a dormir. Fazemos colecção de tudo e mais alguma coisa. Sonhamos com contos de fadas e com o mundo perfeito.
Como estou a crescer..

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Doente




Estou doente...
Não vejo hora de poder sair de casa, parece que o tempo não passa.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Nicolau Breyner

Tenho uma enorme paixão pelo ilustre actor Nicolau Breyner.
Nasceu em 1940 em Serpa. Tem mais de 50 anos de carreira e foram há poucos anos que comecei a seguir e admirar os seus passos. Lançou a sua biografia Mais Vale Ser Alegre Que Ser Triste e conta as melhores vivências da sua vida.
Há dois anos teve cancro da próstata. Sempre acreditei que ele seria capaz de vencer aquela dura batalha pela qual lutou. E venceu, o que cada vez me deixa mais orgulhosa da pessoa forte e lutadora que é.
Os meus pais têm uma amiga que fez teatro com ele há uns 40 anos... falamos imenso dele e ela contou-me muitas aventuras que passou com o Nicolau. Ele costumava alugar carros dos bons e deixá-los em "exposição" em frente ao teatro e à noite quando saía já não os tinha lá porque não pagava o aluguer dos mesmos...Fazia também muitas noitadas, bebia muito, enfim...
Em 2010 deu uma entrevista para o Alta Definição e no meio das coisas inteligentes que ele disse houve uma que me suscitou mais interesse: "Há muito poucas coisas importantes na vida, além do nascimento, da morte, do amor, da amizade (que é outra forma de amor). Poucas coisas são importantes na vida. Quando nós nos lamentamos e há pessoas que não sabem como vão viver amanhã, se têm dinheiro para comer... quando há pessoas com doenças tremendas e a sofrer imenso e nós queixamo-nos porque há trânsito(...)"

Poema de Sebastião da Gama que a sua biografia inclui:
video

No espectáculo dos 50 anos de carreira, para além de 1h30min de actuação, ele disse:

video